Felipe mostra confiança no acesso (Marcio Menezes / America Rio)

12/09/2017
Preparador físico analisa desempenho do grupo na reta final

O America tem mostrado invejável preparo físico na Série B1 do Estadual. Viu-se um pouco disso na final da Taça Corcovado, contra o Itaboraí, na qual o time mostrou intensidade para buscar o empate ao fim da partida. O time se mantém produtivo na segunda etapa dos jogos e os números ratificam isso: dos 36 gols assinalados pelo Mecão no campeonato, 23 aconteceram nos 45 minutos finais.

E se o desempenho físico da equipe merece elogios, os mesmos têm um grande responsável: o preparador físico Felipe Venturin. Ele, no entanto, divide os méritos com outros profissionais.

- Lógico que a gente fica feliz, mas primeiramente agradece a Deus, que nos dá força para trabalhar dia após dia numa temporada desgastante como essa. A preparação física tem seu mérito, mas não isoladamente, pois está tudo envolvido num sistema. Eu, Lucho, Ney, Denis, William, todos nós conversamos muito. E eu, do ponto de vista da preparação física, opino sobre a melhor forma de fazer algo específico para determinado dia. Tem também a questão de entender a rotina, as cargas a serem aplicadas... enfim, é um conjunto de coisas. E ainda há o mérito dos atletas, afinal, são eles que jogam e que querem. Estou satisfeito, mas não ganhamos nada. O principal objetivo nós vamos buscar no domingo.

No início de uma temporada, a preparação física trabalha para que o elenco chegue no auge na fase mais aguda de uma competição. Felipe considera que essa missão está cumprida.

- A gente tem vencido e passando por momentos decisivos. Acho que a linha de trabalho vem caminhando de uma forma correta – disse Venturin, que faz questão de explicar que há vários aspectos

- Toda a periodização passa por processos e passa não só pelo desempenho físico, mas pela parte técnica, tática e psicológica. Quando a gente fala de um período de preparação visando que o time chegue no ápice numa decisão, pensa-se principalmente na parte técnica e tática, os aspectos que decidem um jogo. Uma coisa não está separada da outra, pelo contrário, elas sempre estão ligadas.

A ansiedade por um jogo decisivo é algo que Felipe conhece desde os tempos em que era goleiro. Para ele, uma atitude é essencial em situações como as que o America vai se deparar contra o Audax, no domingo.

- Primeiramente é acreditar, sempre. Jogos decisivos são isso, você tem de acreditar a todo momento. São duelos definidos nos detalhes. A partida em Bacaxá foi decidida aos 46 minutos do segundo tempo e isso foi mérito dos jogadores, que acreditaram o tempo todo.

A fé num bom resultado no jogo do acesso é enorme, apesar da certeza de dificuldades.

- Espero um jogo muito difícil contra um adversário muito forte. E nós vamos fazer de tudo pelo acesso, que é o nosso foco desde o dia 20 de março, quando o trabalho foi iniciado.

- Departamento de Comunicação - AFC




COMPARTILHE: